Saúde da pele na Praça

A Praça da Liberdade teve um movimento diferente nesse domingo, 27 de agosto, de 8h às 13h, quando crianças e adultos pararam para ver e participar da VII edição do Saúde na Praça, um evento que reúne as especialidades médicas e é promovido pela Associação Médica de Minas Gerais (AMMG).

31-ago-2016

A Praça da Liberdade teve um movimento diferente nesse domingo, 27 de agosto, de 8h às 13h, quando crianças e adultos pararam para ver e participar da VII edição do Saúde na Praça, um evento que reúne as especialidades médicas e é promovido pela Associação Médica de Minas Gerais (AMMG). Diversas atividades gratuitas e orientações médicas chamaram a atenção dos presentes para a importância das pessoas cuidarem de sua saúde.

O estande da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Regional Minas Gerais (SBD-MG) foi um dos mais movimentados. Dermatologistas e estudantes de medicina colaboraram no atendimento à população, com a aplicação da Calculadora de Riscos do Câncer da Pele. Para o diretor de Mídia Eletrônica da Regional Minas da SBD, Luiz Maurício Costa Almeida, um evento como esse é de suma importância, pois além de fazer a interação entre a população e os médicos, divulga os bons hábitos de prevenção do câncer da pele.

Criada pela SBD Nacional, a Calculadora de Riscos do Câncer da Pele, por meio de perguntas-chaves, mede os riscos da doença que podem ser baixo, moderado ou alto, dependendo das respostas dos entrevistados. “O índice de risco deu moderado e achei muito bom, porque serviu para me alertar. Imaginava que, por ser morena, e por ser uma pessoa muito cuidadosa, não tinha riscos. Continuarei passando os protetores e não vou me expor mais ao sol, pois abusei muito quando era jovem.” Essa é Creuza G. Prisco, aposentada, natural de Salvador. Passando pela Praça da Liberdade, foi direto para o estande da dermatologia e foi uma das primeiras a fazer o teste.

A SBD-MG teve o apoio dos estudantes da Sociedade dos Acadêmicos de Medicina de Minas Gerais (SAMMG) e da Liga de Dermatologia da Faculdade de Medicina da UFMG (Dermaliga). Para Juliana Rodante, coordenadora da Dermaliga, o câncer da pele é um caso de saúde pública e qualquer atividade que vá divulgar a necessidade de sua prevenção é fundamental. “Além do mais, para nós, estudantes, é gratificante, porque estamos aprendendo com uma ferramenta que não conhecíamos”, finalizou.

Vanessa Fabiana, de Belo Horizonte, bancária, fez o teste e o resultado deu alto. “Me espantei, porque nunca imaginava que pudesse dar esse resultado. Afinal, sou muito branca, mas não me descuido. Apesar de ser alérgica a cremes, uso sempre protetor solar. Mas vou alertar minha dermatologista”.

O servidor púbico Alberto Viegas de Carvalho é natural de BH e nunca foi a um dermatologista. Ele tem 54 anos e disse que só agora, quando viu o risco moderado de ter câncer da pele, ficou preocupado. Agora vai procurar um especialista.

Confira fotos no evento no Facebook da SBD-MG.