Dia Nacional Contra a Hanseníase

Sociedade Brasileira de Dermatologia/Regional MG alerta sobre a doença, cujo tratamento é gratuito e eficiente.  Dia 26 de janeiro (domingo) é o Dia Nacional de Luta contra a Hanseníase. A Sociedade Brasileira de Dermatologia /Regional MG (SDB-MG) alerta a população sobre a importância do diagnóstico precoce no combate à doença. A Hanseníase é uma das […]

07-nov-2018

Sociedade Brasileira de Dermatologia/Regional MG alerta sobre a doença, cujo tratamento é gratuito e eficiente. 

Dia 26 de janeiro (domingo) é o Dia Nacional de Luta contra a Hanseníase. A Sociedade Brasileira de Dermatologia /Regional MG (SDB-MG) alerta a população sobre a importância do diagnóstico precoce no combate à doença. A Hanseníase é uma das enfermidades mais antigas na história da medicina e, embora o número de casos tenha diminuído lentamente ao longo dos anos, ainda é um problema de saúde pública. No Brasil, são notificados de 34 mil a 40 mil novos casos e em Minas Gerais, entre 1500 e 1800, por ano. A preocupação da entidade é com o grande número de pessoas diagnosticadas tardiamente e com o percentual ainda baixo de realização de exames nas pessoas que convivem no mesmo domicílio com os portadores da Hanseníase.

Causada por uma bactéria, a Hanseníase tem como principal sintoma manchas insensíveis na pele, podendo aparecer caroços, inchaços e partes da pele com dormências. Segundo o dermatologista, presidente da SDB-MG, Geraldo Magalhães, os casos diagnosticados precocemente não têm gravidade, mas quando o diagnóstico é tardio podem ocorrer lesões nos nervos das mãos, pés e olhos e acarretar incapacidades para a pessoa. A hanseníase pode atingir crianças e idosos, embora seja mais comum no adulto. Magalhães explica que alguns tipos da doença são contagiosos, mas apenas até o início do tratamento, que é feito com antibióticos, administrados em ambulatório e em casa, por um período que varia de seis meses a um ano. “Na maioria dos casos a melhora é rápida, em poucas semanas ou meses”, afirma.

O especialista também ressalta o fato de que o tratamento para hanseníase é oferecido pela rede pública, em qualquer unidade de saúde ou equipe de saúde da família. Toda a medicação é distribuída de forma gratuita. Magalhães orienta, ainda, que familiares e pessoas próximas a um doente também devem procurar uma Unidade Básica de Saúde para avaliação, quando for diagnosticado um caso de hanseníase na família.