XIV Campanha do Dia Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele

      Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele   No dia 24 de novembro (sábado), de 9h às 15h, dermatologistas realizam avaliação para o diagnostico do câncer de pele em oito postos em Minas Gerais. Em 2012, a doença deve acometer cerca de 15 mil mineiros.   Avaliação para diagnóstico e tratamento da […]

07-nov-2018

 

 
 
Dia Nacional de Combate ao Câncer da Pele
 
No dia 24 de novembro (sábado), de 9h às 15h, dermatologistas realizam
avaliação para o diagnostico do câncer de pele em oito postos em Minas
Gerais. Em 2012, a doença deve acometer cerca de 15 mil mineiros.
 


Avaliação para diagnóstico e tratamento da doença
XIV Campanha do Dia Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele
Data: 24 de novembro (sábado)
Horário: 9h às 15h
Local: serviços de saúde do estado (confira lista abaixo)
Informações: 0800 7013187 ou www.sbd.org.br

 
Minas Gerais entra mais uma vez na Campanha do Dia Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que já está em sua XIV edição. As atividades reúnem, no dia 24 de novembro (sábado), 1500 médicos voluntários e outros profissionais da área da saúde queorientam a população sobre a doença, suas formas de prevenção e a importância do diagnóstico precoce. A ação acontece em 25 dos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. 
 
No estado, as atividades são coordenadas pela regional mineira da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD-MG) e tem o apoio da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG). Os atendimentos serão realizados, de 9h às 15, em oito postos: Alfenas, Belo Horizonte (em dois centros), Barbacena, Campina Verde, Juiz de Fora, Patos de Minas e Uberlândia (veja os endereços abaixo). Nestes locais, pacientes passam por exames e caso haja a suspeita de câncer da pele são encaminhados para diagnóstico complementar e tratamento, todo coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
 
De acordo com a SBD, o câncer da pele é dividido em dois grupos distintos: o não melanoma, mais frequente e menos agressivo, acomete mais as populações de pele clara. São tumores de crescimento lento, localmente invasivos e raramente resultam em metástase a distância. É uma doença com altas taxas de cura se tratada de forma adequada. Já o tipo melanoma é menos frequente do que os outros tumores da pele, porém sua letalidade é mais elevada. Acomete principalmente pessoas de peles claras. Se detectados em estágios iniciais são curáveis e com bom prognóstico.
 
Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam o câncer da pele como o mais comum no Brasil, correspondendo a 25% de todos os tumores malignos registrados no país. Em 2012, o órgão espera 62.680 casos novos do tipo não melanoma entre homens e 71.490 em mulheres. Para o melanoma, são aguardados 3.170 casos novos no público masculino e 3.060 no feminino. Um total de cerca de 140 mil novos registros. Nas mulheres o não melanoma é o mais frequente em todas as regiões, com um risco estimado de 91/100 mil na região Sudeste.
 
Em Minas Gerais, são