Educação continuada de excelência na Jornada Mineira de Dermatologia


Mais de 200 dermatologistas, entre residentes, especialistas e palestrantes, participaram da XXIV Jornada Mineira de Dermatologia, que aconteceu nos dias 19 e 20 de maio, na Associação Médica de Minas Gerais (AMMG). O número de participantes representou recorde de público em uma Jornada da SBD-MG nos últimos anos, mostrando o envolvimento dos associados em eventos e ações da Regional e a qualidade científica da programação. Programação esta que mesclou assuntos da dermatologia clínica com a cosmiatria.

A presidente da SBD-MG, Ana Cláudia de Brito Soares, na abertura oficial da Jornada, falou sobre a satisfação em receber um público tão grande. “Estamos promovendo atualização de qualidade a um custo bem interessante para o associado, e sem custo para os residentes”, disse Ana Cláudia, que lembrou também do papel fundamental dos laboratórios apoiadores para o sucesso da Jornada.

Redes Sociais

A abertura do evento foi também o momento de alertar os dermatologistas presentes sobre as boas práticas nas Redes Sociais. Maria de Fátima Melo Borges, diretora de Mídia Eletrônica da SBD-MG, apresentou uma campanha, que aconteceu durante a Jornada, com objetivo de divulgar a “netiqueta” – o uso das Redes Sociais como uma boa forma de marketing, seguindo regras de etiqueta social e respeitando as normas determinadas pelo Conselho Federal de Medicina .  “Temos regras de publicidade médica e por isso devemos ter cuidado com o que publicamos e a maneira como nos expomos nas redes. Porque muitas vezes nos expomos excessivamente e em risco de infrigirmos a legislação vigente sobre o assunto”, disse Maria de Fátima.

Programação Científica

O Curso de Tricoscopia pré-jornada, coordenado pela dermatologista mineira Dulcileia Ferraz Rodrigues, deu início à programação científica do evento, na sexta (19/5) de manhã. Também muito concorrido, o curso abrangeu vários aspectos da técnica (veja matéria). A Jornada seguiu até a tarde de sábado (20/5) com seis conferências e seis módulos de discussão.

A primeira conferência sobre “Microagulhamento no tratamento de melasma, estrias e cicatrizes de acne”, da dermatologista paulista Bogdana Victoria Kadunc não falou somente sobre as indicações e os mecanismos de ação do microagulhamento, mas também sobre o fato de parecer um procedimento simples, mas que exige conhecimento medico sobre a pele, pode ser doloroso, com resposta lenta e nem sempre satisfatória  e que tudo deve ser explicado ao paciente. A programação do primeiro dia se seguiu com aulas sobre dermatologia pediátrica e cosmiatria. Na apresentação sobre psicodermatoses, o dermatologista de Minas Gerais, Antônio Carlos Martins Guedes falou sobre a clínica, a conduta e diagnósticos diferenciais. Ele aconselhou aos presentes buscar estabelecer um elo entre o médico e o paciente para  tratar ou encaminhar corretamente os casos de psicodermatoses.

No sábado, os módulos tiveram como tema as dermatoses infecciosas, doenças comuns de consultório, tricologia e cirurgia dermatológica. A conferência “Entendendo a queda de cabelos”foi proferida pela dermatologista de São Paulo Aline Donati. Para ela, um assunto de extrema importância, pois as pessoas têm muitos mitos sobre a queda difusa de cabelo e o dermatologista tende a não acreditar no paciente. “Se o dermatologista geral tem que saber alguma coisa sobre cabelo, é sobre queda”, falou Aline, que fechou o evento com uma aula sobre “Alopecia frontal fibrosante: diagnóstico precoce”.