Filtro solar na infância

Os raios ultravioleta são muito importantes na produção de vitamina D. Entretanto a exposição excessiva aos raios ultravioleta pode desencadear cânceres de pele. 

29-jul-2013

Os
raios ultravioleta são muito importantes na produção de vitamina D.
Entretanto a exposição excessiva aos raios ultravioleta pode desencadear
cânceres de pele. Considera-se que 85% da radiação solar recebida por
uma pessoa ocorrem nos primeiros 20 anos de vida. Portanto a prevenção
começa na infância. Para uma exposição solar adequada alguns cuidados
são fundamentais:
 

– evite a exposição ao sol entre 10 e 16 horas, quando a radiação ultravioleta é mais intensa,

– use bonés ou chapéus com abas largas,

– use camisetas, 

– procure a sombra nos horários de sol forte, mesmo em uso de filtro solar,

– utilize filtro
solar com FPS 15 ou superior. Aplique uma camada grossa. A primeira
aplicação deve ser realizada antes de sair de casa. Reaplique a cada 2
horas de exposição solar ou após sudorese excessiva ou após contato com a
água,
–         dê preferência aos produtos em loções ou cremes que aderem mais a pele,

–  não se esqueça de aplicar o filtro nos dias nublados,

–  evite o uso de filtro solar em menores de 6 meses de idade. Nesses casos a sombra, roupas, bonés são mais adequados,
– o tempo
necessário de exposição solar por dia para a síntese de vitamina D na
infância  é de 20 minutos na criança vestida ou 5 minutos na criança só
de fralda,

– pais sejam um exemplo para seus filhos. Proteja-se,

– “pintas” que crescem rapidamente, irregulares, com cores variadas ou que nunca cicatrizam devem ser avaliadas por  um médico.
 

O método mais utilizado de fotoproteção
é o uso do filtro solar, embora o uso de acessórios protetores
como camisas, bonés, óculos escuros, sombrinhas, guardas-sol, etc.
também seja imprescindível. O filtro solar é um produto aplicado
sobre a pele que vai absorver ou refletir os raios UV. Subdividem-se em
filtros químicos, que absorvem a UV, e físicos (bloqueadores), que
refletem a UV. A maioria dos produtos disponíveis no mercado é uma
combinação de filtros físicos e químicos. Em geral, os filtros solares
exclusivamente físicos têm baixo poder de sensibilização (raramente
provocam dermatite de contato alérgica) e são conhecidos como baby.
 

Perguntas mais comuns em relação à proteção solar.
 

Como aplicar o filtro solar?

O filtro solar deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição. A quantidade a ser usada (cerca de 20 ml/m2)
deve formar uma camada espessa, que em um adulto corresponde a cerca de
30 a 35 ml por aplicação. O filtro deve ser reaplicado após
transpiração intensa, natação e a cada duas horas de exposição solar.
 

Quando posso começar a usar o filtro solar em meu filho?

A partir dos seis meses de idade,
simplesmente porque não existem estudos que atestem a segurança dos
filtros em pacientes abaixo dessa idade. Embora muito provavelmente os
filtros possam ser usados em qualquer idade, não há a menor necessidade
de uma criança tão pequena ser exposta a uma radiação UV tão intensa que
implique na obrigatoriedade do uso do produto. Até os seis meses a
proteção deve ser feita com roupas, bonés e sombra.
 

Meu filho não gosta de usar filtro porque arde os olhos.

Nesses casos dê preferência aos filtros
que são só físicos, ou seja, aqueles que contenham somente óxido de
zinco e dióxido de titânio. Eles não ardem os olhos.Normalmente esses
filtros são conhecidos como produtos baby. Confira no rótulo se
os princípios ativos são exclusivamente físicos. Os filtros físicos
podem ser usados por qualquer pessoa. Contudo, por serem mais difíceis
de espalhar e por deixarem uma película branca ou acastanhada na pele,
sua aceitação cosmética é menor. São hipoalergênicos e, portanto,
recomendados para a faixa etária infantil, principalmente antes dos dois
anos de idade.
( É importante que as crianças vejam os pais
aplicando o filtro solar em si próprios, pois assim criam o hábito
através da observação)

 

O filtro solar que eu comprei não sai na água. Preciso reaplicá-lo?
Sim. Mesmos os filtros solares que
contenham essa informação no seu rótulo devem ser reaplicados a cada
duas horas de exposição solar ou após transpiração intensa ou natação.
 

Posso usar filtro solar que não é infantil no meu filho?

A princípio, sim, a partir de dois anos
de idade. Geralmente os produtos infantis aderem mais à pele e foram
testados nas crianças, sem reações alérgicas importantes.
 

Posso usar filtro em gel ou spray em meus filhos?
De preferência, não. Esses filtros saem
mais facilmente e os sprays não formam uma camada homogênea e espessa. A
maioria dos géis contêm álcool, que pode irritar os olhos. Utilize os
filtros em creme ou loção.
 

É verdade que não faz diferença entre usar um filtro com FPS 15 ou 30?

Não. Apesar da porcentagem de proteção à
UV não aumentar proporcionalmente ao aumento do FPS, algumas pessoas
necessitam de FPS maiores, dependendo do tipo de pele e da intensidade
de exposição. Além disso, esse número de FPS é um teste de laboratório e
não leva em consideração variáveis como sudorese, vento, umidade do ar.
Esse teste é realizado com uma quantidade de filtro (2mg/cm2)
que não corresponde à utilizada pela maioria das pessoas. Vários
estudos têm demonstrado que a quantidade aplicada varia de 0,5 a 1 mg/
cm2 , o que corresponde a uma queda do FPS em 50% ou mais.
 

Meu filho é muito claro. Posso usar um filtro com FPS 60?

A princípio, sim. Porém, é necessário
estar atento que quanto maior o FPS, maior a quantidade de substâncias
químicas utilizadas e maior o risco de reações alérgicas. O fato de se
usar um filtro com FPS 60 não exclui a necessidade de reaplicação a cada
duas horas ou após exercício físico ou natação. Utilize um produto
infantil com um FPS 30 a 44, que são os disponíveis no mercado, e de
preferência filtro físico. (Os filtros solares, mesmo os mais potentes,
não conferem proteção total, sendo apenas um dos
itens da fotoproteção, portanto o uso de bonés, roupas e a própria
sombra devem ser incentivados)
 

O pediatra solicitou que meu filho tome banho de sol para a produção da vitamina D. O filtro solar não vai prejudicar?

Não. Realmente, um dos maiores
benefícios da UVB é a produção da vitamina D. No momento, considera-se
como adequada uma exposição solar de 30 minutos por semana com a criança
totalmente despida, ou de duas horas por semana com a criança
parcialmente vestida. Além deste horário a criança deve ser protegida do
sol. A partir do momento que a criança começa a andar e com isso
ocorrer uma maior exposição solar espontânea, não há necessidade de um
banho de sol tão regular.
 

O uso de filtro solar causa câncer de pele?

Não. Há alguns anos foi muito divulgado
que o uso de filtro solar causava câncer de pele. O uso do filtro solar
permite que a pessoa se exponha mais ao sol, já que a queimadura solar
demora mais para ocorrer. Com isso o efeito cumulativo da radiação solar
aumenta. Além disso, os filtros solares protegiam mais contra a
radiação UVB, mas a pessoa persistia exposta a radiação UVA. Nos últimos
anos têm surgido filtros solares mais potentes, com proteção também
para a radiação UVA. Porém, é importante ressaltar que não existe filtro
solar que proteja 100%. São necessários outros mecanismos de proteção,
como não se expor nos horários de pico do sol, utilizar-se de sombras,
bonés e roupas.
 

Minha filha de 16 anos quer fazer bronzeamento artificial. Posso permitir ou existem contra-indicações?

Não aconselhamos o bronzeamento
artificial. Converse com a sua filha sobre os riscos do bronzeamento
artificial. O bronzeamento artificial utiliza cabines de lâmpadas com
radiação UVA principalmente. Cada 30 minutos de bronzeamento
correspondem a 3-4 horas de exposição solar. Normalmente a pessoa que
faz bronzeamento não deixa de se expor ao sol. Com isso, está
aumentando, em muito, a sua exposição acumulada à radiação. A
argumentação que o bronzeamento artificial antes das férias na praia
proteje a sua pele não se justifica. Os mecanismos de proteção à
radiação ultravioleta são basicamente três: capacidade individual
(genética) de produzir melanina, a presença desse pigmento na pele e o
espessamento da camada córnea. A radiação UVA, presente nas câmaras de
bronzeamento, não estimula o espessamento da camada córnea, um
importante fator de proteção. Esse espessamento só ocorre quando se
expõe também à UVB. Ademais, doenças podem surgir ou serem agravadas em
pessoas susceptíveis ou em uso de certas medicações tópicas e/ou
sistêmicas. Além de ser causa de câncer de pele, a UV também causa o
envelhecimento cutâneo. Utilize essa argumentação, talvez dotada de
maior poder de sensibilização entre os adolescentes.
 
 

Posso utilizar o autobronzeador?

Sim. Os autobronzeadores podem ser
utilizados, tomando-se o cuidado de testá-los primeiro em uma pequena
parte do corpo para avaliar a possibilidade de alergia. Esses produtos
contêm di-hidroxiacetona que, oxidando a ceratina da pele, confere uma
coloração laranja-amarronzada que desaparece gradativamente. ( Como
as regiões palmares tem uma espessa camada de ceratina, aconselha-se
lavar bem as mãos após a aplicação do produto para evitar uma
coloração intensa nestas regiões).
 
Cláudia Márcia de Resende Silva
Médica Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia